Cabeçalho do site

Barra de acessos extras do site

Barra de acessos extras do site

English Português Español

Área de acessos a todo o site

Página de apresentação de um artigo

Banner do artigo

Conteúdo do artigo

Versão do Facebook para empresas deve ser lançada em outubro

Informações do artigo

  • 32

Plataforma para organizar comunicação entre funcionários e aumentar a produtividade já está em ambiente de testes para parceiros da empresa.

O Facebook está desenvolvendo uma plataforma voltada ao ambiente profissional para concorrer com o LinkedIn. De acordo com os sites The Information e TechCrunch, a empresa pretende lançar a versão definitiva do Facebook at Work em outubro, após mais de um ano em testes. Desenvolvida para organizar a comunicação entre funcionários, a plataforma será liberada para mais clientes e cobrará da empresa um valor por cada usuário ativo.

Os usuários do Facebook at Work têm acesso a um feed exclusivo com publicações de colegas de trabalho para discutir ideias e gerenciar as próximas tarefas. A plataforma também oferece a opção de criar grupos para setores da empresa e iniciar chamadas de áudio e vídeo. Os recursos deverão competir com plataformas como o Slack, que trabalha com a organização de mensagens, e o Skype, que oferece chamadas gratuitas.

A ferramenta conta ainda com outros recursos disponíveis na rede social, como a criação de eventos e a transmissão de vídeos ao vivo. Como lembra o TechCrunch, a principal vantagem da nova plataforma é a familiaridade dos usuários, já que será possível usar o mesmo login e senha e a interface será parecida com o Facebook. Por outro lado, a rede social ainda possui uma imagem mais ligada à diversão do que à produtividade e colaboração.

Menos anúncios, mais privacidade

Outra diferença do Facebook at Work é a ausência de anúncios. Como a plataforma será mantida pelas empresas, não haverá a necessidade de exibir propagandas no feed e nas barras laterais do site. Com isso, a empresa não irá rastrear dados para exibir publicidade direcionada para cada pessoa, como ocorre na versão padrão. A decisão impede também que o Facebook tenha acesso a informações confidenciais das empresas.

A rede social deverá ter concorrência de empresas já estabelecidas na área como o Google Plus, que parece estar se direcionando para uma plataforma para empresas, e o LinkedIn, comprado recentemente pela Microsoft. Para popularizar a plataforma entre empresas, o Facebook at Work deve firmar acordos com softwares de serviço para produtividade (SaaS), como a Asana.

Fonte: Tecnologia – iG

Menu voltado para os artigos