Cabeçalho do site

Barra de acessos extras do site

Barra de acessos extras do site

English Português Español

Área de acessos a todo o site

Página de apresentação de um artigo

Banner do artigo

Conteúdo do artigo

Não vá para a nuvem sozinho

Informações do artigo

  • 29

A adoção da computação em nuvem é reflexo da evolução do mercado, da mudança de comportamento das empresas e profissionais em direção a esta nova tecnologia: a jornada é desafiadora, mas gratificante, segundo sua própria definição.

A computação não veio para cortar empregos, mas sim para libertar as equipes do trabalho operacional, chato, repetitivo e sem sentido. Aos que ainda estão iniciando um projeto ou em dúvida se devem ir ou não para a nuvem, destaco abaixo seis caminhos para tornar esta jornada vitoriosa.

1 – O mundo já não é mais o mesmo
Quando o mundo andava mais devagar, havia uma coisa chamada tendência, que era uma ideia, um conceito que precisava ser avaliado e testado. As empresas e os profissionais mais desbravadores (ou desavisados) eram os que saiam na frente e pagavam o preço pelo desafio.

Na maioria das vezes estes desbravadores chegavam a lugares que não significavam nada. O resto de nós, talvez conservadores, aprendíamos com a experiência deles para saber que caminho tomar, ou não. Mas o cenário mudou tão rápido que muita gente nem notou. As coisas não são mais assim.

As últimas “tendências” de TI mal chegam e já são realidade. Acontece com muitas delas, como por exemplo, a Cloud Computing. Sua adoção foi tão repentina e tão ampla que tomou conta de 100% das estratégias do nosso setor.

A parte boa é que cobaias não são mais necessárias. A parte ruim é que ainda tem muita gente tentando vender coisas parecidas com cloud, que não o são de verdade. Com mais de 700 empresas que acompanhamos nesta jornada posso dar algumas recomendações aos CIOs que, neste delicado momento, precisam de planejamento para definir como será sua adoção ou aprofundamento no uso da nuvem.

2 – Engaje sua empresa nesta jornada
Vença a vergonha de usar Cloud Computing. Em geral o que vemos é uma receptividade muito grande das corporações para a sua adoção, pois todo mundo sabe o que isto significa. Tome a dianteira, assuma a responsabilidade de liderar o processo e engaje toda a diretoria e acionistas no projeto.

Esclareça o óbvio, mas lembre-se do que precisa ser dito: Cloud sem o envolvimento de TI é algo que não faz sentido. Uma ou outra aplicação pode até ser contratada pelas áreas de negócio, mas é TI que define as regras mais amplas, tais como autenticação, segurança, conformidades, resguardo de dados confidenciais, plataformas padrão, SLAs e assim por diante.

3 – Envolva seu time
Quem vai se opor é seu time, não tenha dúvida disto. Embora eu não tenha vivenciado nenhuma demissão por se adotar cloud e nenhum projeto movido por este objetivo, há uma sensação no ar de que nuvem significa cortar gente. Trabalhe com seu time para mostrar a eles que o modelo é o que vai libertá-los de um trabalho operacional e – este sim – descartável. Engaje-os num planejamento para esta mudança. Nossa experiência neste processo é muito positiva.

4 – Experiência é tudo
Busque ajuda. Muitos CIOs têm experiências para contar sobre cloud. E vão querer compartilhar, pois são experiências em geral muito positivas. Estude os provedores. Identifique as ofertas puras de nuvem daquelas que até parecem isto, mas não passam de ambientes tradicionais remanejados para parecer modernos.

Virtualização, ambientes compartilhados, nuvens privadas são conceitos que têm perdido força, mas ainda há muita gente nesta via. Evite-a. Busque os líderes. E seus parceiros, que são os que vão ajudar de verdade a complementar a tecnologia com as camadas de serviços e atendimento que fazem sentido para seu negócio.

5 -Comece rápido, erre rápido e acerte sempre
Identifique o jargão “quick win” no seu negócio. Certas ideias são fáceis de implementar e trazem benefícios rápidos e tangíveis. Mensageria na nuvem traz qualidade à comunicação; migrar uma infra “as-is” para uma oferta IaaS significa economia de Capex e Opex.

Estas conquistas podem trazer apoio do time e da direção para voos mais longos. E vão te permitir entender quais são os maiores bloqueadores. E novamente, mesmo estes projetos mais óbvios requerem ajuda externa especializada. Muitas empresas vão querer te ajudar com o foco no relacionamento de longo prazo, aproveite esta situação e faça bons acordos.

6 – Sem reinventar a roda
Cloud não é um conceito vago, “nebuloso”. É uma tecnologia incrivelmente madura – desde que você tome os cuidados que já devem ter sido tomados no passado. Cerque-se de provedores líderes. Escolha os melhores parceiros de serviços. Foque-se no que é comprovadamente certeiro.

A boa notícia é, mesmo que sua empresa opte por migrar integralmente para a cloud, desligando todos os servidores da rede (algo impensável até pouco tempo, mas uma demanda muito forte que sentimos hoje), você pode fazê-lo sem ser cobaia de ninguém!

Finalmente, planejar por meses e depois executar o plano é coisa do passado. Agora é hora de agir. Basta seguir os caminhos trilhados. Deixe parte do planejamento de lado e fortaleça a execução e a medição de resultados. E prepare-se para virar o motor da inovação em sua empresa e no seu setor.

Fonte: Cio

 

 

 

 

 

 

 

Menu voltado para os artigos