Cabeçalho do site

Barra de acessos extras do site

Barra de acessos extras do site

English Português Español

Área de acessos a todo o site

Página de apresentação de um artigo

Banner do artigo

Conteúdo do artigo

Malware no CCleaner queria afetar Google, Microsoft e Samsung

Informações do artigo

  • 113
  • CCleaner, Google, Malware, Microsoft, Samsung,
  • TECMUNDO

Se você está de olho nas informações que publicamos aqui no TecMundo, certamente deve se lembrar que divulgamos uma notícia falando que o CCleaner tinha um malware que afetou mais de dois milhões de computadores no espaço de um mês. Entretanto, parece que os responsáveis pela ação não estavam interessados nos usuários, mas sim em “peixes maiores”.

Segundo informações divulgadas pela Cisco e pela Avast, esse ataque tinha um endereço específico e mirava pelo menos 20 gigantes da tecnologia, entre elas GoogleMicrosoftSamsungHTC, D-Link e outras. A ideia dos responsáveis por essa ação era infectar os computadores internos dessas companhias, sendo que o malware original seria utilizado apenas como uma forma de fazer um segundo malware acessar esses sistemas.

Os pesquisadores da Talos ainda relataram que a ideia dos hackers era observar a sua base de máquinas afetadas para encontrar computadores que estivessem conectados às redes dessas companhias. Um detalhe que vale ser mencionado é que 50% das tentativas de instalar esse segundo malware ocorreram com sucesso, sendo que algumas empresas foram infectadas duas vezes e outras escaparam ilesas. Porém, não se sabe quais se encaixam em cada um dos grupos.

A imagem que você confere abaixo dá uma ideia dos domínios nos quais os atacantes tentaram suas ações. Vale notar que o “ntdev.corp.microsoft.com” é utilizado por desenvolvedores da Microsoft, enquanto “hq.gmail.com” tem relação com uma área interna do Gmail para funcionários da Gigante das Buscas.

Códigos

Tentativa de espionagem

Ainda no que diz respeito aos relatórios divulgados, foi dito que essa ação foi feita como uma tentativa de espionagem, e não apenas um meio de instalar ransomware e keyloggers nos computadores das pessoas. Além disso, houve a menção de que há estimativas de que apenas 700 mil computadores tenham sido afetados, e não 2,2 milhões como foi mencionado anteriormente.

Por fim, a Avast oferece algumas dicas para os usuários, e ressalta a importância de manter seus antivírus e outros programas atualizados com a última versão para diminuir os riscos de ter uma surpresa desagradável. Outra dica dada pela Cisco é de restaurar o PC usando o backup de uma data anterior à instalação do CCleaner.

 

Menu voltado para os artigos