Cabeçalho do site

Barra de acessos extras do site

Barra de acessos extras do site

English Português Español

Área de acessos a todo o site

Página de apresentação de um artigo

Banner do artigo

Conteúdo do artigo

Este equipamento de R$ 31 mil chega no limite da imersão em realidade virtual.

Informações do artigo

  • 26

A empresa chinesa Kat VR demonstrou recentemente um equipamento que promete ser o ponto máximo do que se pode fazer com realidade virtual atualmente. Chamado de Kat Walk, o aparelho é composto por óculos de realidade virtual, um sensor que envolve a cintura do usuário, sapatos especiais e uma superfície de plástico cheia de sensores.

Como se pode imaginar pelos componentes, o equipamento não apenas coloca o jogador em realidade virtual (por meio dos óculos) como também traduz os movimentos dele em movimentos reais, graças aos sensores nos sapatos e na superfície plástica. Com isso, o jogador pode se mover como se estivesse dentro do mundo virtual. A superfície plástica é inclinada, de maneira que o jogador não sai do lugar quando anda. O vídeo mostra mais do equipamento.

Ver e andar não são os únicos recursos que esse aparelho oferece. Ainda é possível usar as suas mãos para interagir com a ação no mundo de realidade virtual. Isso pode ser feito por meio de um controlador especial (como a arma mostrada no vídeo) ou por meio dos controladores normais que vêm junto com o HTC Vive, por exemplo. Graças a essas funções, jogos em primeira pessoa se tornam extremamente imersivos quando experimentados nesse aparelho.

Mercado restrito

No entanto, conforme o TechCrunch aponta, esse equipamento gigantesco não é para qualquer um: ele está sendo vendido por enquanto por US$ 9 mil (R$ 31 mil) e tem como compradores-alvo os donos de fliperamas (ou arcades) chineses. O preço nem é a única barreira para quem quer ter um desses, já que, como pode se ver acima, o aparelho exige bastante espaço.

Mesmo assim, é provável que com a popularização de dispositivos de realidade virtual nos próximos anos o preço de aparelhos desse tipo comecem a cair. O próprio TechCrunch (que tem um vídeo exclusivo sobre o equipamento) considera que, no futuro, boa parte dos aparelhos do ramo deverão ter componentes que permitam traduzir os movimentos do usuário em movimentos no jogo.

Fonte: OlharDigital

Menu voltado para os artigos