Cabeçalho do site

Barra de acessos extras do site

Barra de acessos extras do site

English Português Español

Área de acessos a todo o site

Página de apresentação de um artigo

Banner do artigo

Conteúdo do artigo

Dez habilidades mais quentes na área de TI em 2017

Informações do artigo

  • 26

Conforme as economias se recuperam, a competição por talentos em tecnologia fica mais acirrada.

2017 pode parecer um pouco imprevisível à luz dos acontecimentos que ocorrem em todo o mundo.No entanto, a necessidade de soluções tecnológicas eficientes e inovadoras permanecerá constante. Conforme as economias se recuperam, a competição por talentos em tecnologia fica mais feroz.

Não por acaso, as taxas de desemprego na indústria de TI ainda se aproximam de baixas históricas, em todo o mundo. Para algumas funções – como engenheiros de redes e segurança e desenvolvedores de software – chegam perto de 1%.

Pesquisa recente da Robert Half Technology revelou que a maioria dos CIOs expandirá suas equipes de TI ou se concentrará em preencher vagas, enquanto o estudo IT Forecast 2017, da TEKsystems, mostra que a confiança é alta e os orçamentos de TI estão se recuperando (confira o infográfico no fim desta reportagem).

No geral, a perspectiva para profissionais de TI este ano é positiva. Em especial, para aqueles com habilidades em áreas específicas, relacionadas abaixo.

  1. Desenvolvedores de software full-stack
  2. Os desenvolvedores de software não podem conhecer apenas uma linguagem ou plataforma, diz Gene Richardson, COO da Experts Exchange. “Eles também devem entender e ter experiência com DevOps, design, QA, DBA, Analytics, e, assim, usar múltiplos chapéus. Ter colaboradores full-stack na equipe melhora o time to market, minimiza os custos e garante uma equipe com uma melhor compreensão dos problemas de negócios e como resolvê-los”, diz Richardson.

  3. Gerente de projeto
  4. Com a confiança dos líderes de TI em alta e os orçamentos de TI recuperando, as organizações precisam de gerentes de projeto para ajudar a mantê-los sob controle, dentro do orçamento e no cronograma, diz Stephen Zafarino, diretor da Mondo, empresa de recrutamento de TI. Os gerentes de projeto com experiência vertical específica, como TI para saúde, finanças ou outras áreas de especialidade, serão ainda mais requisitados em 2017, diz ele.

    A pesquisa State of CIO, da Computerworld, revela que 25% dos entrevistados com planos de contratação reportaram que estarão procurando pessoas com esta habilidade nos próximos 12 meses.

  5. Cibersegurança
  6. “A segurança cibernética tornou-se prioridade número 1 para muitos de nossos clientes, e não há indícios de mudanças tão cedo. Não há profissionais suficientes para preencher a demanda nessa área”, diz Zafarino. E com as violações de alto perfil presentes nas manchetes do noticiário global, as empresas pensam em proteger dados e informações antes de se tornarem vítimas, diz ele.

  7. Profissionais de redes
  8. Embora a demanda por profissionais de redes tenha estabilizado em 2016, voltou a crescer neste início de ano, diz Zafarino. “Os profissionais de administração de rede e os engenheiros de rede estão entre os mais procurados por nossos clientes. Eles são considerados fundamentais para que as empresas digitais possam continuar a prosperar e crescer “, diz ele.

  9. Profissionais de UI/UX
  10. Os consumidores não se contentarão com nada menos do que uma experiência de usuário rápida, contínua e indolor, no uso de software empresarial, portais de compras ou jogos. Especialistas em experiência do usuário e os designers de interfaces de usuário (UX / UI) vão estar em alta demanda para ajudar a tornar as interfaces de software tão intuitivas quanto possível, diz Zafarino.

  11. QA/testing
  12. Lado a lado com os profissionais de UI/UX vão estar os profissionais de testes e garantia de qualidade. Um front-end lindo, contínuo, não fará milagres se o software no back-end não for robusto. O estudo da TEKsystems mostra que as funções de controle de qualidade e testes aumentaram em importância no último ano, à medida que as aplicações são vistas cada vez mais como críticas.

  13. Engenheiros de nuvem
  14. Com a mudança contínua em direção à infraestrutura de nuvem pública e à adoção de nuvens híbridas, a demanda por profissionais de TI qualificados em configuração, integração e segurança de implementações em nuvem estará ainda mais aquecida em 2017. “Estamos vendo uma evolução nas necessidades de cloud computing. De especialistas em infraestrutura para engenheiros e desenvolvedores de soluções híbridas. A maioria das organizações já planejou suas soluções de nuvem e agora eles estão começando a implementar e construir novos serviços”, diz Zafarino.

  15. Big Data
  16. As empresas travam verdadeiras batalhas hoje para lidar com o grande volume de dados que estão gerando: dados dos usuários, dados de comportamento do cliente, dados de compra, bem como leads de vendas, dados de marketing e similares, diz Zafarino. Profissionais aptos a desenvolver soluções para capturar, processar, analisar e interpretar dados continuarão a ser necessários para o sucesso de uma organização em 2017. “Toda indústria, desde a TI até o marketing, finanças, formuladores de políticas, etc estão contratando analistas de dados para ajudá-los na tomada de decisão”, diz Richardson.

  17. Profissionais de Machine Learning e Inteligência Artificial
  18. Em vez de um programador escrevendo cenários “if / then / else”, algoritmos e sistemas de IA são usados ??agora para tomar decisões em tempo real, diz Richardson. “Tecnólogos especializados em construir sistemas de IA e aprendizagem de máquina, bem como a criação de algoritmos, serão altamente demandados nos próximos anos”, diz Richardson.

  19. DevOps
  20. DevOps continuará a desempenhar um papel importante na contratação de TI em 2017, uma vez que as empresas continuam precisando de boas interfaces entre o departamento de TI e os executivos das áreas de negócio para garantir que os projetos de TI estejam atendendo às necessidades e objetivos estratégicos das empresas, diz Zafarino.

    A abordagem ganha tração em organizações mais tradicionais. O foco é colocar a engenharia em prol do negócio, com todas as suas práticas, ferramentas e cultura, de forma a aumentar a frequência de deployment, reduzir o lead time, a taxa de falhas durante as mudanças e o tempo médio de reparo em caso de falhas.

    Se você é um gerente buscando contratar pessoas com essas habilidades, esteja preparado — pode demorar um pouco para encontrar a pessoa certa.

Fonte: Computer World

Menu voltado para os artigos