Cabeçalho do site

Barra de acessos extras do site

Barra de acessos extras do site

English Português Español

Área de acessos a todo o site

Página de apresentação de um artigo

Banner do artigo

Sem Comentários

Conteúdo do artigo

As tecnologias que vão decolar e trazer impactos em 2022, segundo especialista

Informações do artigo

Imagem ilustrativa sobre Inteligência Artificial, com códigos e fórmulas de computador - Sputnik Brasil, 1920, 03.01.2022

Inteligência Artificial (IA), Machine Learning, Computação na Nuvem e 5G serão as tecnologias mais relevantes em 2022, segundo avaliação de líderes globais. Para entender o cenário, a Sputnik Brasil conversou com um especialista sobre as tendências e os obstáculos para a alavancagem das novas ferramentas.

Se em 2022 não há carros voadores pelo céu ou máquinas do tempo, como alguns filmes do passado previam, alguns elementos “futurísticos” já estão, sim, presentes na nossa realidade.
Para o engenheiro de comunicações Raul Colcher, membro do Instituto dos Engenheiros Elétricos e Eletrônicos (IEEE) – organização técnico-profissional internacional com sede em Nova Jersey, nos EUA -, a Inteligência Artificial (IA) “certamente não é mais ficção científica”.
Segundo uma pesquisa do IEEE, as tecnologias mais importantes deste ano serão Inteligência Artificial (IA), Machine Learning (Aprendizado de Máquina), Computação na Nuvem e 5G.
O levantamento do instituto foi feito com base em análises de líderes globais de tecnologia dos Estados Unidos, do Reino Unido, da China, da Índia e do Brasil.
Para Colcher, que também é presidente da Questera Consulting (empresa de consultoria dedicada ao aconselhamento estratégico e à educação corporativa), a pesquisa demonstra que as tecnologias mais importantes são as vinculadas à transformação digital.
Além de IA e Computação na Nuvem, o especialista cita a Robótica (ciência que estuda as tecnologias associadas a concepção e construção de robôs) e os conceitos de Internet das Coisas (interconexão digital de objetos cotidianos com a Internet) e Blockchain (sistema que permite rastrear o envio e o recebimento de informação pela Internet).
Ele também ressalta as ferramentas que ganharam protagonismo nos últimos anos, como a microeletrônica e os serviços que permitem as teleconferências, essenciais durante a pandemia. “A impressão tridimensional e as tecnologias de baterias vinculadas à eletrificação automotiva também avançaram”, acrescentou.
Sobre o Machine Learning, o especialista destaca o crescente potencial da máquina em coletar dados, com algoritmos aperfeiçoados, capacitando, progressivamente, o sistema para realizar análises mais precisas.

5G e Internet das Coisas

Segundo o engenheiro de comunicações, o 5G não é apenas mais um passo para a evolução da tecnologia de redes móveis e banda larga. Em sua visão, “o 5G estabelece um ponto de inflexão na utilização de serviços de telecomunicações”.

Com isso, segundo o especialista, os dispositivos podem ser operados de forma mais sensível. Em uma cirurgia robótica, por exemplo, em que o paciente é operado remotamente, o movimento do cirurgião precisa ser instantâneo, para que a cirurgia seja eficiente e segura.

Avanço da tecnologia x Desemprego

Para Colcher, o surgimento de novas tecnologias contribui tanto para a destruição como para a criação de empregos. O problema, segundo ele, é que a parcela da sociedade substituída pelas máquinas não é a mesma beneficiada pela nova dinâmica.

Ele recorda que, há algumas décadas, os empregos destruídos eram de tarefas mecânicas, repetitivas e facilmente substituídas por sistemas automáticos. Agora, com a Inteligência Artificial e processos computadorizados mais sofisticados, o impacto é maior.

Segundo o engenheiro de comunicações, embora a tecnologia crie outras funções na sociedade pela modificação das tarefas que não existiam, os novos empregos demandam bem mais especialização.

Colcher acredita que não se pode ter “a pretensão ou a ilusão” de que é possível deter o progresso cientifico e tecnológico. Segundo ele, o que a sociedade precisa é tentar lidar com a evolução tecnológica minorando os impactos e preparando a população para este novo contexto.

 

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.




Menu voltado para os artigos